Julián Fuks: “A melhor maneira de resistir aos fatos é começar por assumi-los sem meias palavras”

“A Resistência” (Companhia das Letras) chega ao fim de 2016 consagrado. Venceu o Prêmio Jabuti de Livro de Ficção do Ano e ficou em segundo lugar no Prêmio Oceanos. No livro, Julián Fuks trata do irmão adotado e da vida dos pais, que lutaram contra a ditadura militar na Argentina e se exilaram no Brasil. … Mais Julián Fuks: “A melhor maneira de resistir aos fatos é começar por assumi-los sem meias palavras”

Notas de Leitura: Sobre Samanta Schweblin e Juan Gabriel Vásquez

Das boas leituras que tive neste final de ano, a argentina Samanta Schweblin (1978) e o colombiano Juan Gabriel Vásquez (1973), praticamente contemporâneos, reforçam a ideia de que há uma literatura vigorosa no continente. Seus livros recuperam a tradição narrativa de seus conterrâneos e trazem algo com uma lufada de urgência, ao recuperar gêneros e temas caros … Mais Notas de Leitura: Sobre Samanta Schweblin e Juan Gabriel Vásquez

A arte de John Coltrane ganha nova expressão: os quadrinhos

A HQ “Coltrane” (Veneta) não deixa dúvidas de que é uma obra reverente, sem medo do exagero e das parcialidades. O artista italiano Paolo Parisi, autor do roteiro e das ilustrações, não mostra nenhuma preocupação em não fazer outra coisa a não ser venerar John Coltrane. O título já escancara a devoção. A capa avança, … Mais A arte de John Coltrane ganha nova expressão: os quadrinhos

Depois de “Como se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas”, só resta ler mais Elvira Vigna

Meu primeiro contato com Elvira Vigna foi “Por Escrito” (Companhia das Letras, assim como todos os livros citados no texto). Li há cerca de dois anos. Não lembro como cheguei a ela, onde peguei a indicação, como me interessei por ela. Nunca consegui escrever sobre o livro. Fiquei meses tentando esboçar um texto, mas nada que eu … Mais Depois de “Como se Estivéssemos em Palimpsesto de Putas”, só resta ler mais Elvira Vigna

“O Caso Meursault” reconstrói a mitologia criada por Camus

“Hoje, mamãe ainda está viva.” Assim começa “O Caso Meursault” (Biblioteca Azul), do argelino Kamel Daoud. Tanto o título como a primeira frase não deixam dúvidas sobre as referências do livro: Albert Camus e seu “O Estrangeiro”. Aqui, não há contraponto imediato. O que o autor se propõe é contar a história do árabe morto … Mais “O Caso Meursault” reconstrói a mitologia criada por Camus

Rodrigo Maceira e “Até De Repente”, autor e livro que precisam ser lidos

Há pouco mais de um ano, li entusiasmado um livro de contos de um autor praticamente desconhecido, que resolveu enviá-lo para o blog. Era um volume curto, de textos também curtos, mas que tinha uma potência contida naquelas ambientações que carregavam identificações. Seu autor era Rodrigo Maceira, e o livro, “Um Céu Diferente Daquele de Lá”. … Mais Rodrigo Maceira e “Até De Repente”, autor e livro que precisam ser lidos

Ricardo Lísias aprofunda crítica social em seu novo livro, “A Vista Particular”

Li, em um post publicado no Facebook, que o novo livro de Ricardo Lísias, “A Vista Particular” (Alfaguara), seria engraçado, cômico, hilário – alguns dos adjetivos usados pelo autor do texto. Não conheço o autor, mas de alguma forma seu texto apareceu na minha timeline. Estava para começar a leitura do livro, portanto, de alguma … Mais Ricardo Lísias aprofunda crítica social em seu novo livro, “A Vista Particular”