Da biblioteca de casa: “A Canção de Amor de J. Alfred Prufrock”

"Sigamos então, tu e eu, Enquanto o poente no céu se estende Como um paciente anestesiado sobre a mesa; Sigamos por certas ruas quase ermas, Através dos sussurrantes refúgios De noites indormidas em hotéis baratos, Ao lado de botequins onde a serragem Se mistura às conchas das ostras: Ruas que se alogam como um tedioso … Continue lendo Da biblioteca de casa: “A Canção de Amor de J. Alfred Prufrock”

Anúncios