Argentina, Brasil, Crônicas, Ensaio, Estados Unidos, Ficção, Inglaterra, Noruega, Notas de leitura

Notas do Carnaval

O feriado começou com um livro em andamento, "O Pai Morto" (Rocco), de Donald Barthelme, saudado como um dos grandes lançamentos do ano passado. Elogiado por nomes como Thomas Pynchon e Salman Rushdie, o autor é lembrado por sua irreverência e liberdade artística, retratadas na falta de convenções em suas narrativas. O livro tem 239 páginas. É… Continuar lendo Notas do Carnaval

Comentário, Estados Unidos, Ficção

Uma reflexão sobre a velhice no texto de Philip Roth

No caminho para completar as leituras dos títulos do escritor americano lançados no Brasil, chego a este "Fantasma Sai de Cena" (Companhia das Letras), que não é considerado um dos seus melhores livros. O escritor Nathan Zuckerman, exilado nas montanhas da Nova Inglaterra, decide voltar a morar em Nova York mais de dez anos depois.… Continuar lendo Uma reflexão sobre a velhice no texto de Philip Roth

Colaboração, Crônica

Os livros que somos

Por Paulo Sales Acabo de ler o texto publicado neste blog sobre os dez melhores “amigos” de Freud: obras que ele considerava essenciais e que de certa forma amplificaram sua visão de mundo. E lembrei de minha própria (e evidentemente muito mais modesta) lista de dez “amigos”, que o próprio Ricardo me encomendou outro dia, através… Continuar lendo Os livros que somos

Índia, Brasil, Comentário, Ficção, Peru

Pantaleão me visita novamente: uma releitura de Llosa

Livro encerrado, livro aberto. Escolhi ler "Os Filhos da Meia-Noite" (Companhia das Letras), de Salman Rushdie, uma edição eletrônica que comprei por R$ 9,90 no Kobo em uma das várias promoções que a editora fez para e-books. Os livros eletrônicos permitem, quando alcançam preços razoáveis, descobertas e redescobertas. Por esse preço, a minha biblioteca no… Continuar lendo Pantaleão me visita novamente: uma releitura de Llosa

Comentário, Estados Unidos, Ficção, HQ, Hungria

O pai e a mãe, na visão de uma lésbica: as HQs de Alison Bechdel

Em "A Ausência que Seremos" (Companhia das Letras), o colombiano Héctor Abad reconta a história do pai, assassinado em praça pública, ao mesmo tempo em que revê sua relação com ele. Em tom semelhante, Paul Auster tenta entender como é ser filho e pai, em "A Invenção da Solidão" (Companhia das Letras). Philip Roth também… Continuar lendo O pai e a mãe, na visão de uma lésbica: as HQs de Alison Bechdel

Comentário, Ficção, Inglaterra

O livro que se transforma

Colecionadores e aficionados são "vítimas" de uma tática da indústria musical atualmente. Para contar a constante queda nas vendas, as gravadoras encontraram um meio para evitar a agonia: lançamentos especiais de álbuns que marcaram uma era ou que se tornaram clássicos. São as tais edições deluxe, com faixas extras e mais um monte de penduricalhos.… Continuar lendo O livro que se transforma