Comentário, Ficção, Portugal

A delicada despedida ao pai em “Morreste-me”

Lançado recentemente no Brasil, "Morreste-me" (Dublinense) é o primeiro trabalho do português José Luís Peixoto, autor de "Livro" (Companhia das Letras). A novela, que poderia ser uma carta - lembra muito, em formato e tentativa, de "Cartas a D." (Cosac), de André Gorz -, foi lançada em 2000, quando ele tinha 23 anos, e faz parte de uma… Continuar lendo A delicada despedida ao pai em “Morreste-me”

Anúncios
Colômbia, Comentário, Ensaio, Ficção, Inglaterra

“A que propósito evolucionário a nostalgia poderia servir?”: a finitude em três livros

1. O livro abre com um ensaio sobre o balonismo. Depois, permeia a fotografia e a relação levemente ficcionada entre Sarah Bernhardt e Félix Nadar. O terceiro ensaio trata da perda da mulher do autor. De alguma forma, os três textos se entrelaçam, ao dar significado a novas maneiras de ver o mundo - do… Continuar lendo “A que propósito evolucionário a nostalgia poderia servir?”: a finitude em três livros