Por que os loucos escrevem livros tão bons? Porque sim

"Por que os loucos escrevemos livros tão bons?" A pergunta autorreferente chamou a atenção assim que vi em uma rede social. Não era somente uma questão, mas abria espaço para um livro, do escritor e psicanalista Tiago Franco. Tinha sido recomendado com certa veemência por Ricardo Lísias, o que foi o gatilho para que eu comprasse. … Continue lendo Por que os loucos escrevem livros tão bons? Porque sim

O jazz pelas mãos de Veríssimo e Vinicius

Há escritores que escrevem como se tocassem jazz - caso de Júlio Cortázar. E há aqueles que mergulham no jazz como amantes. Casos de Luís Fernando Veríssimo e Vinicius de Moraes, que escreveram como o gênero modificou suas vidas. De Veríssimo, a Objetiva, por meio do selo Foglio, lançou "Jazz", uma coletânea de textos que o … Continue lendo O jazz pelas mãos de Veríssimo e Vinicius

A desconstrução do escritor, por Sabato

O cineasta Domingos de Oliveira disse certa vez algo como: “Escrever é muito fácil, basta sentar e rasgar o peito com uma faca”. Para Albert Camus, “a obra de arte proporciona (ao escritor) vencer seus fantasmas e se aproximar um pouco mais de sua realidade nua”. E se Roland Barthes defende que o romance é … Continue lendo A desconstrução do escritor, por Sabato