Os livros que não terminei de ler

No post, comento sobre três obras que geraram expectativa, mas que cujas leituras foram interrompidas.

Contradições ao fim da leitura de “Pureza”

Por Paulo Sales Lançado recentemente no Brasil pela Companhia das Letras, "Pureza" não alcança o patamar dos grandes romances de Jonathan Franzen Tanto "As Correções" como "Liberdade", romances anteriores de Franzen, traçam um painel mordaz e impiedoso da vida americana através de núcleos bem definidos: a disfuncional família Lambert no primeiro, o triângulo amoroso formado por … Continue lendo Contradições ao fim da leitura de “Pureza”

Notas de um leitor

1 Ficou famosa a forma como Renato Russo arrumava sua discoteca. Ele dizia que ordenava os álbuns por preferência, o que exigia uma reavaliação regular. No caso de biblioteca, um dos mais inusitados métodos de arquivamento que encontrei foi o do cantor Art Garfunkel, que guarda seus livros por ordem de leitura. Cada cabeça, um … Continue lendo Notas de um leitor

Quando o ensaísta supera o romancista

Jonathan Franzen chegou ao auge em 2011/2012, quando lançou seu "Liberdade". Foi considerado o escritor do século pela "Time", o livro frequentou listas dos mais vendidos e dos melhores do ano. Lembrei do autor quando coloquei a leitura da "Piauí" em dia no final do ano. Na edição de novembro, a revista publicou o ensaio … Continue lendo Quando o ensaísta supera o romancista