Colômbia, Crônica

A volta passa pelos 90 anos de Gabo

Li meu primeiro Gabriel García Márquez talvez tardiamente, aos 23 anos. Estava na minha segunda faculdade e me vi impelido a ler o colombiano. Não me recordo do motivo de até então não ter entrado na obra do colombiano, tanto que o exemplar de "Cem Anos de Solidão", o Gabo inaugural, uma edição antiga da… Continuar lendo A volta passa pelos 90 anos de Gabo

Colômbia, Entrevistas, Ficção, Listas, Não ficção

Um feriado com Gabo

Como toda véspera de feriado, o blog preparou uma lista de livros como sugestão de leitura. Desta vez, a seleção homenageia Gabriel García Márquez (1927-2014). Os livros podem ser percorridos nos quatro dias. Por isso, clássicos como "Cem Anos de Solidão" e "Amor nos Tempos do Cólera" ficam de fora. São livros que têm espaço… Continuar lendo Um feriado com Gabo

Colômbia, Crônica, Obituário

Obrigado, Gabo (1927-2014)

Estou longe de casa. Portanto, longe dos meus livros do Gabriel García Márquez. Eu queria agora poder reler páginas de seus livros, relembrar personagens, histórias, cenários. Essa era a vontade - é. A morte talvez seja uma motivadora dessas revisões, espécie de homenagem ou de agradecimento. E não quero escrever aqui um obituário. Não tenho… Continuar lendo Obrigado, Gabo (1927-2014)

Colaboração, Crônica

Os livros que somos

Por Paulo Sales Acabo de ler o texto publicado neste blog sobre os dez melhores “amigos” de Freud: obras que ele considerava essenciais e que de certa forma amplificaram sua visão de mundo. E lembrei de minha própria (e evidentemente muito mais modesta) lista de dez “amigos”, que o próprio Ricardo me encomendou outro dia, através… Continuar lendo Os livros que somos

Arquivos, Colômbia, Comentário, Ficção, Japão

Dos arquivos: Yasunari Kawabata

Houve uma época que, em momentos de tensão ou ansiedade, eu recorria a Gabriel García Márquez. Qualquer livro, para ler ou reler, era uma espécie de recarga. Um porto seguro. Sua leitura devolvia as forças necessárias para o momento. O mergulho em seu universo proporcionava esse alívio. Hoje, Gabo foi substituído por Yasunari Kawabata. Sua… Continuar lendo Dos arquivos: Yasunari Kawabata

Comentário, Ficção, México

“Pedro Páramo”, a obra-prima incompreendida. Ainda. Por mim

Li "Pedro Páramo" pela primeira vez em algum momento há mais de 14 anos, uma edição da Paz e Terra que trazia também a coletânea de contos "O Planalto em Chamas". Em 2004, a Record reeditou o livro, com tradução de Eric Nepomuceno, e rebatizou a compilação de "Chão em Chamas"."Pedro Páramo" é considerado a… Continuar lendo “Pedro Páramo”, a obra-prima incompreendida. Ainda. Por mim

Chile, Comentário, Ficção

Na profundeza latina

Sou aficionado por livrarias. Qualquer uma, de qualquer tamanho. Se gosto ou não, o reflexo será o tempo que passarei dentro de determinada livraria. E essa relação não depende de eu sair da loja com uma sacola. Posso passar um bom tempo apenas olhando e folheando. Por isso, na lista de livrarias que foram dispensadas… Continuar lendo Na profundeza latina