Bélgica, Comentário, Ficção, Policial/Suspense

Muito além do comissário Maigret

Georges Simenon é mais conhecido pelos romances estrelados pelo comissário Maigret. Mas os chamados romances psicológicos do escritor belga compõem um lado mais denso, em que as tramas e os personagens são mais cinzentos e imprevisíveis. A composição mais elaborada permite comparar seus títulos a "O Estrangeiro" e "A Náusea", livros que perpassam este "A Neve… Continuar lendo Muito além do comissário Maigret

Comentário, Ficção, França

Carrère: uma experiência de leitura

Li Emmanuel Carrère pela primeira vez há quase dois anos. Seu "Outras Vidas que Não a Minha" (Alfaguara) foi das leituras mais potentes que tive nos últimos anos. Tempos depois, li "O Adversário" (Record), um livro-reportagem sobre um francês que finge por 18 anos ser um médico da OMS, mata sua família e queima sua… Continuar lendo Carrère: uma experiência de leitura

Arquivos, Comentário, Ficção, França, Uruguai

Dos arquivos: Dois olhares sobre o amor

Um amigo está às voltas com a leitura de "Quem de Nós", de Mario Benedetti, autor uruguaio que ocupa lugar de honra na biblioteca de casa. Pensei no livro, tentando me lembrar da sua trama, e cai num texto que escrevi em 2007, para "O Tempo". Nele, entrelaçava o livro de Benedetti com uma nova… Continuar lendo Dos arquivos: Dois olhares sobre o amor

Comentário, França, HQ

O silêncio como palavra

Em tempos em que falar e escrever são medidos pelo excesso, é notável o trabalho que o francês Bastien Vivés realizou na HQ "O Gosto do Cloro" (Barbanegra/LeYa). O silêncio e o respeito ao tempo dos outros é o norte do livro, em que o ilustrador e roteirista faz uso de uma paleta de cores… Continuar lendo O silêncio como palavra

Brasil, Estados Unidos, França, HQ, Reportagem

Do FIQ para casa: a descoberta de autores e HQs

As leituras foram interrompidas no fim de semana prolongado assim que cheguei do FIQ BH (Festival Internacional de Quadrinhos). "A Cidade dos Anjos Caindo", de John Berendt, e "Conversas com Kubrick" ficaram descansando enquanto devorava HQs adquiridas na Serraria Souza Pinto, onde aconteceu o FIQ. O FIQ permitiu, a quem o visitou, descobrir autores e… Continuar lendo Do FIQ para casa: a descoberta de autores e HQs

Cinema/Roteiro, Comentário, Ficção, França, Música

Entre a fantasia e o surrealismo, há espaço para a doçura

Meu primeiro contato com Michel Gondry foi com o clipe de "Like a Rolling Stone", com os Rolling Stones, em 1995. Mas só fui acordar para o diretor francês dez anos depois, quando assisti no cinema a "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembrança". O impacto com o filme foi tão grande que fui ao… Continuar lendo Entre a fantasia e o surrealismo, há espaço para a doçura