À vida falta um Gullar

Por Paulo Sales Durante muito tempo, Ferreira Gullar foi o maior poeta brasileiro vivo. Agora já não há maiores poetas brasileiros vivos. Gullar deixa a vida e com ela o vazio. Na minha modesta opinião, alcançou a estatura de Drummond, Bandeira e João Cabral, que formam a santíssima trindade da poesia brasileira. Mas entre todos … Continue lendo À vida falta um Gullar

Ferreira Gullar, 1930-2016

"turvo turvo a turva mão do sopro contra o muro escuro menos menos menos que escuro menos que mole e duro menos que fosso e muro: menos que furo escuro mais que escuro: claro como água? como pluma? claro mais que claro claro: coisa alguma e tudo (ou quase) um bicho que o universo fabrica … Continue lendo Ferreira Gullar, 1930-2016

“Por que nos tempos escuros se escreve com tinta invisível?”, pergunta Neruda

Pablo Neruda não apenas construiu versos de amor e de cunho político, como os deixados nos livros "Cem Sonetos de Amor" e "Canto Geral", mas também fez de simples perguntas poesias, sem procurar respostas. Essas questões surgem em "O Livro das Perguntas" (CosacNaify, 2008), com tradução de Ferreira Gullar e ilustrações do espanhol Isidro Ferrer … Continue lendo “Por que nos tempos escuros se escreve com tinta invisível?”, pergunta Neruda