Comentário, Ficção, Itália

Lisboa, por Antonio Tabucchi

Em "Meia-Noite em Paris", Woody Allen reproduz os anos 20 na capital francesa, época de grande produção cultural em que nomes exilados transformavam a cultura. Parte de um sonho: um escritor norte-americano se vê transportado do século 21 para a casa de Gertrude Stein. Essa fábula recriou Hemingway, Picasso, Fitzgerald, entre outros. Era um homem… Continuar lendo Lisboa, por Antonio Tabucchi

Anúncios
Comentário, Portugal, Relatos de viagem

As viagens que vêm de Portugal

Uma das editoras mais interessantes no Brasil hoje é a Tinta-da-China. Recém-chegada de Portugal, a casa editorial já colocou nas prateleiras títulos que valem a leitura e que dão uma sacudida na linha de lançamentos brasileiros. Uma busca no site português revela uma editora com olhar atento ao jornalismo e ao relato de viagem. No… Continuar lendo As viagens que vêm de Portugal

Arquivos, Comentário, Estados Unidos, Poesia

Dos arquivos: As folhas de Whitman

Não sou um leitor de poesia, sou leitor de poetas. Eliot, Fernando Pessoa, Drummond. E Walt Whitman, talvez o meu preferido. Conheci Whitman por meio de uma tradução de Geir Campos e apresentação de Paulo Leminski, lançada pela Brasiliense lá em meados dos 80. Era um apanhado de "Folhas de Relva", mas bem editado - "Folhas… Continuar lendo Dos arquivos: As folhas de Whitman

Comentário, Ficção, Itália

O tempo e a saudade

"Perguntei-lhe sobre aquele tempo, quando ainda éramos tão jovens, ingênuos, impetuosos, tontos, despreparados. Algo disso restou, menos a juventude." Esta foi minha porta de entrada para a obra de Antonio Tabucchi. É o trecho de abertura de "O Círculo", o primeiro conto de "O Tempo Envelhece Depressa" (CosacNaify). Como não se envolver, então, pela história… Continuar lendo O tempo e a saudade

Arquivos, Áustria, Comentário, Memórias

Dos arquivos: Uma história de amor

“Você está para fazer oitenta e dois anos. Encolheu seis centímetros, não pesa mais do que quarenta e cinco quilos e continua bela, graciosa e desejável. Já faz cinquenta e oito anos que vivemos juntos, e eu amo você mais do que nunca. De novo, carrego no fundo do meu peito um vazio devorador que… Continuar lendo Dos arquivos: Uma história de amor