William Faulkner e “Luz em Agosto”: Um grande comentador da alma humana

Enquanto esperava chegar o novo livro de Elio Gaspari, fui à estante escolher algo para ler e me deparei com a trilogia Snopes, de William Faulkner, três livros ainda intocados por mim. Peguei o primeiro, "O Povoado", e mergulhei no universo do escritor norte-americano depois de muito tempo - completam a série "A Cidade" e … Continue lendo William Faulkner e “Luz em Agosto”: Um grande comentador da alma humana

“E a História Começa”: Amós Oz reflete sobre as aberturas dos livros

O editor da Companhia das Letras, Luiz Schwarcz, escreveu no blog da editora, na semana passada, um texto sobre começos de livros. Apresenta uma boa reflexão, mas o dono do maior conglomerado editorial do país - que inclui, além da casa-mãe, Objetiva, Alfaguara, Sumo das Letras, entre outros selos menores - cometeu um erro. Disse … Continue lendo “E a História Começa”: Amós Oz reflete sobre as aberturas dos livros

Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 3

Para fechar ao especial sobre os 400 anos da morte de Cervantes, publico artigo de Maria Augusta da Costa Vieira, professora de literatura espanhola da Universidade de São Paulo e autora de “O Dito Pelo Não Dito: Paradoxos de Dom Quixote” (ed. Edusp). O texto foi uma encomenda para "O Tempo", como parte da reportagem especial … Continue lendo Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 3

Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 1

Em 2005, escrevi uma reportagem para "O Tempo" sobre os 400 anos de "Dom Quixote". Aproveitava o lançamento de uma edição especial do livro pela Real Academia Espanhola. No pacote, havia, além do texto principal, uma entrevista com uma especialista em literatura espanhola e um artigo de uma estudiosa da obra de Miguel de Cervantes. Reproduzo … Continue lendo Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 1

“Moby Dick” e sua versão definitiva

A estreia do filme "No Coração do Mar" me fez recuperar essa reportagem que escrevi em 2008 para o jornal "O Tempo", de Belo Horizonte, sobre o lançamento de uma edição especial de "Moby Dick", pela Cosac Naify. Herman Melville teria se inspirado a escrever o grande romance após conhecer os relatos narrados no filme, … Continue lendo “Moby Dick” e sua versão definitiva

Uma festa dos livros em BH

Por Lygia Calil A exemplo de outras cidades brasileiras, como Paraty, e mineiras, como Araxá e Poços de Caldas, Belo Horizonte acaba de ganhar um festival de literatura. Com anúncio na Academia Mineira de Letras, o Festival Literário Internacional (Fli-BH) será realizado de 25 a 28 de junho. Seis nomes já foram anunciados pela organização: os … Continue lendo Uma festa dos livros em BH

A literatura adaptada aos quadrinhos

Por Lygia Calil* Quadrinhos e literatura sempre conversaram entre si. Há uma década, o mercado brasileiro vive um bom momento para adaptações de romances para gibi – sobretudo de títulos dedicados ao público infantojuvenil, ainda em formação, para quem as versões apresentam clássicos ou obras recomendadas pelos principais vestibulares do país. Agora, as editoras voltam … Continue lendo A literatura adaptada aos quadrinhos

Jim Morrison inspira faroeste caipira

Por Lygia Calil * Oito anos depois de flertar com a poesia em seu primeiro livro, “Herói Hesitante”, o mineiro Danislau está de volta às letras. Vocalista (e um dos letristas) da banda Porcas Borboletas, o doutorando em teoria literária acaba de lançar sua primeira obra em prosa, “Hotel Rodoviária” (independente). A narrativa é centrada … Continue lendo Jim Morrison inspira faroeste caipira

Uma casa para escritores perseguidos

Em seu 10º ano, o Fórum das Letras de Ouro Preto vai promover a parceria entre a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e a Internacional Cities of Refuge Network (Icorn), uma ONG responsável que abrigar escritores perseguidos em seus países de origem. A ideia é que a universidade receba esses escritores em uma casa, a primeira na … Continue lendo Uma casa para escritores perseguidos

Mas louco é quem me diz

"- Mas eu não quero ir parar no meio de gente maluca - observou Alice. - Ah, não adianta nada você querer ou não - disse o Gato. - Nós somos todos loucos por aqui. Eu sou louco. Você é louca. - E como você sabe que eu sou louca? - perguntou Alice. - Bem, … Continue lendo Mas louco é quem me diz