Uma reportagem que se lê como um romance policial

O jornalista Philip Gourevitch reconstrói a história de um assassino de duas pessoas que nunca foi encontrado após o crime, em 1970.

Da biblioteca de casa: O cinema como Scorsese o vê

Entrevistado pelo crítico e documentarista Richard Schickel, Martin Scorsese usa sua verve para falar de técnicas, influências, cultura, tradições.

Da biblioteca de casa: um passeio à noite me leva de Manguel a Pirandello

Ao lembrar de um livro de Alberto Manguel, encontrei nas prateleiras duas obras do autor italiano.

Um retorno um tanto confuso, dominado pela insônia e sem muita lógica

Este é um relato de como a insônia me fez buscar livros na minha biblioteca, na tentativa de conquistar o sono. Nessa caça, encontrei livros que sempre tive vontade de ler e outros que havia tempos não lembrava.

Ferreira Gullar, 1930-2016

"turvo turvo a turva mão do sopro contra o muro escuro menos menos menos que escuro menos que mole e duro menos que fosso e muro: menos que furo escuro mais que escuro: claro como água? como pluma? claro mais que claro claro: coisa alguma e tudo (ou quase) um bicho que o universo fabrica … Continue lendo Ferreira Gullar, 1930-2016

Sobre Borges e seus diálogos

Por conta dos 30 anos sem Jorge Luis Borges, lembrei de mais alguns livros do autor argentino, especialmente dos livros de entrevistas. Em 2009, a Hedra lançou três livros com a íntegra das entrevistas que Borges concedeu ao jornalista e escritor Osvaldo Ferrari, em 1984 e 1985: "Sobre a Amizade e Outros Diálogos", "Sobre a … Continue lendo Sobre Borges e seus diálogos

30 anos sem Borges

Hoje, faz 30 anos da morte de Jorge Luis Borges. Deixo um recorte de um dos livros dele como homenagem. ***** "Não está aqui Isidoro Suárez, que comandou uma carga de hussardos na batalha de Junín, que não passou de uma escaramuça e que mudou a história da América. Não está aqui Félix Olavarría, que … Continue lendo 30 anos sem Borges

Da biblioteca de casa: “Linha M”, de Patti Smith

"Passando pelo pórtico dos anjos, é possível encontrar sem dificuldade onde Bertolt Brecht está enterrado. Percebi que alguns buracos de balas tinham sido preenchidos com argamassa desde a minha última visita. A temperatura estava despencando e começava a cair uma neve leve. Sentei diante do túmulo de Brecht e cantarolei a canção de ninar que … Continue lendo Da biblioteca de casa: “Linha M”, de Patti Smith

Da biblioteca de casa: Pirandello

"A solidão nunca está com você, ela está sempre sem você e, portanto, ela só é possível na presença de algo estranho, lugar ou pessoa que seja, que o ignore completamente, e que você desconheça totalmente, de tal modo que a sua vontade e o seu sentimento fiquem suspensos e perdidos numa incerteza angustiosa e, … Continue lendo Da biblioteca de casa: Pirandello

Da biblioteca de casa: “O Afeto que se Encerra”

"O artista ficou na terra de ninguém. É o nosso habitat natural. Abaixo a retórica que levou uma geração, uma cultura, uma falsa consciência, ao extermínio. Registramos fragmentos ('esses fragmentos salvei das minhas ruínas', termina 'The Waste Land', resumindo o que é possível e crível em literatura). Nenhuma reverência a instituições, credos, à grandiloquência que … Continue lendo Da biblioteca de casa: “O Afeto que se Encerra”