Rosalie Lightning: Tom Hart exala a dor de perder a filha

Rosalie Lightning, de Tom Hart

Impossível ler "Rosalie Lightning" e não lembrar de Tiago Ferro e o seu "O Pai de Menina Morta" — ou, pelo menos, da história real que Ferro enfrentou anos atrás. O autor americano Tom Hart enfrenta o luto e busca saídas para entendê-lo nesta HQ em que relembra a morte de sua filha pequena.

Anúncios

A Terra dos Filhos retrata decadência humana

"A Terra dos Filhos" (Veneta), do italiano Gipi, é daquelas obras que precisam existir. HQ poderosa, com traço realista, ela incomoda ao levar o leitor a universos tão distantes quanto possíveis.

Em “A Noite da Espera”, Milton Hatoum entrega um romance sobre a memória e paciência

Milton Hatoum volta ao romance com a primeira parte de uma trilogia sobre Brasília e os anos da ditadura. "A Noite da Espera" conta a história de Martim, filho de pais separados que precisa se ajustar à vida na capital.

Uma crônica bissexta sobre alguns livros

Neste texto, escrevo sobre cinco livros: "O Vendido", "Nadando de Volta para Casa", "Múltipla Escolha", "Comer Animais" e a terceira parte de "O Árabe do Futuro".

Michel Houellebecq: um autor movido a niilismo e compaixão

O jornalista e escritor Paulo Sales analisa a obra de Michel Houellebecq: "O escritor francês parece destinado a descrever sem matizes a decadência do homem médio ocidental, dando forma a personagens homogêneos, muito semelhantes entre si".

Sonata de Outono

Paulo Sales escreve sobre o romance "Nossas Noites", de Kent Haruf

“O Museu da Inocência”, de Pamuk: a história de amor que criou um inventário de objetos

O livro do Nobel de Literatura Orhan Pamuk narra a história de um triângulo amoroso na Turquia dos anos 70/80 e a criação de um museu que conta a vida de um dos vértices do caso.

“Prosas Apátridas”, um manual da observação cotidiana

O livro reúne 200 fragmentos, textos curtos e desconectados, como se fossem entradas de um diário, um fluxo de ideias que traduzem o que Ribeyro pensava e como trabalhava seu texto.

A forte e crua poesia de Rupi Kaur transforma versos em palavras de sobrevivência

Um dos mais recentes fenômenos literários é a poeta Rupi Kaur. Desta vez, o burbuinho vem ancorado em um trabalho vigoroso, uma poesia que retrata a mulher e a violência com palavras que atingem sem dó a quem lê.

Notas sobre “Tirza”

O romance é daqueles que avançam em tensão, mas não de forma súbita. Grunberg arquitetou com maestria o andamento do livro, ao criar dois atos que se opõem no quesito dramaticidade.