A arte de John Coltrane ganha nova expressão: os quadrinhos

A HQ "Coltrane" (Veneta) não deixa dúvidas de que é uma obra reverente, sem medo do exagero e das parcialidades. O artista italiano Paolo Parisi, autor do roteiro e das ilustrações, não mostra nenhuma preocupação em não fazer outra coisa a não ser venerar John Coltrane. O título já escancara a devoção. A capa avança, … Continue lendo A arte de John Coltrane ganha nova expressão: os quadrinhos

Anúncios

Joe Sacco revê seu jornalismo em “Reportagens”

Sou fã de Joe Sacco. Desde sua estreia no Brasil, ainda na Conrad, com "Palestina - Uma Nação Ocupada", em 2000. Sua forma de fazer jornalismo, muito além de narrar um fato por meio de uma HQ, provoca um debate rico e atual. Sacco se insere na reportagem, é retratado pelo seu traço e faz … Continue lendo Joe Sacco revê seu jornalismo em “Reportagens”

“Ghetto Brother”: autor de HQ sobre o pacificador do South Bronx fala das gangues e de “The Get Down”

O South Bronx, na virada dos anos 60 e 70, era uma espécie de terra de ninguém. Formada por negros e latinos, basicamente, a região ao sudoeste de Nova York vivia sob violência e em um cenário de guerra. Terrenos abandonados e cheios de entulhos, carcaças de edifícios, incêndios, sujeira, miséria e preconceito dominavam a … Continue lendo “Ghetto Brother”: autor de HQ sobre o pacificador do South Bronx fala das gangues e de “The Get Down”

8 livros que tratam do 11 de Setembro, que chega aos 15 anos

Foi numa terça-feira, em 2001, que as torres do World Trade Center desabaram. Aos 15 anos daquele 11 de setembro, mais do que clichê, é definitivo dizer que o mundo se transformou desde então. Eu voava de São Paulo para Belo Horizonte no momento do impacto na primeira torre. Ao pousar na Pampulha, recebi a … Continue lendo 8 livros que tratam do 11 de Setembro, que chega aos 15 anos

Notas de Leitura – 3 HQs

"Uma Vida Chinesa - 1. O Tempo do Pai" (WMF Martins Fontes), de Li Kunwu e Philippe Ôtié As HQs vêm se tornando um caminho muito utilizado para registrar memórias. Mais do que as reportagens gráficas de Joe Sacco e de "O Fotógrafo", há uma certa tendência em permear fatos importantes por meio da história pessoal. Exemplos: … Continue lendo Notas de Leitura – 3 HQs

A entrevista de Massari que virou HQ

Adaptações literárias para romances gráficos já são comuns. No blog, comentei sobre "Dois Irmãos" e "Grande Sertão: Veredas". Publiquei também uma reportagem sobre essa tendência, principalmente focada nos clássicos. Também é comum biografias serem transpostas para a HQ. "Coltrane", objeto de desejo deste blog, é a mais recente, num universo que já teve Kafka e … Continue lendo A entrevista de Massari que virou HQ

“Grande Sertão: Veredas”, o romance gráfico que travou Guimarães Rosa

"Grande Sertão: Veredas" (Bibioteca Azul) custa R$ 199,90. É um livro belíssimo, com roteiro adaptado por Eloar Guazzelli e ilustrado por Rodrigo Rosa. Vem numa luva de acetato vermelho, lombada solta, que permite a abertura das páginas com segurança. O trabalho gráfico é deslumbrante. A edição, ao que parece, tem tiragem única, de 7.000 exemplares. Portanto, … Continue lendo “Grande Sertão: Veredas”, o romance gráfico que travou Guimarães Rosa

A volta em três HQs, ou como “O Impostor” ficou de lado por uns dias

A morte de David Bowie fez com que eu cancelasse a publicação deste post, que abre o ano do blog, após o recesso da virada 2015/2016. Escrevi um texto sobre Bowie na plataforma Medium, onde o blog também é espelhado. Está neste link.  Aos livros, portanto. ***** Antes das festas de fim de ano, escrevi … Continue lendo A volta em três HQs, ou como “O Impostor” ficou de lado por uns dias

“Mate Minha Mãe”: O noir pelas mãos de Jules Feiffer

Logo na abertura do livro, o autor já indica o que o leitor encontrará, ao citar as referências em um agradecimento. "Mate Minha Mãe" (Quadrinhos na Cia) vai homenagear o noir: além de Will Eisner, referência no mundo dos romances gráficos, estamos diante de escritores e cineastas que consagraram o gênero nos anos 40, como … Continue lendo “Mate Minha Mãe”: O noir pelas mãos de Jules Feiffer

“Pílulas Azuis”: sobre como fazer uma obra-prima

A editora Nemo vem fazendo um trabalho muito interessante na publicação de HQs adultas. Recentemente, escrevi sobre três títulos imperdíveis, daqueles que mesmo os que não são muito afeitos ao gênero deveriam ler: "O Muro", "O Mundo de Aisha" e "Uma Metamorfose Iraniana". Agora, por indicação do escritor Ricardo Lísias, fui ler "Pílulas Azuis", do … Continue lendo “Pílulas Azuis”: sobre como fazer uma obra-prima