Marcelo D’Salete: “A desigualdade extrema de hoje tem muito a ver com coisas que não foram superadas do período da escravidão”

Há duas HQs brasileiras que ultrapassam o sentido de entretenimento. "Cumbe" e "Angola Janga", ambas de Marcelo D'Salete, são obras que introduzem história, sociologia, antropologia, uma interdisciplinaridade necessária para os temas que o autor coloca em suas páginas. As duas HQs, lançadas pela Veneta, retratam o período colonial brasileiro, sob a ótica dos escravos.

Anúncios

Jeff Lemire recria os caminhos para a redenção em Nada a Perder

A HQ Nada a Perder, de Jeff Lemire

A HQ "Nada a Perder", de Jeff Lemire, é uma obra que trata de redenção. A história de dois irmãos que se reencontram após anos afastados mostra a capacidade de criar cenários envolventes e que emocionam o leitor.

Rosalie Lightning: Tom Hart exala a dor de perder a filha

Rosalie Lightning, de Tom Hart

Impossível ler "Rosalie Lightning" e não lembrar de Tiago Ferro e o seu "O Pai de Menina Morta" — ou, pelo menos, da história real que Ferro enfrentou anos atrás. O autor americano Tom Hart enfrenta o luto e busca saídas para entendê-lo nesta HQ em que relembra a morte de sua filha pequena.

A Terra dos Filhos retrata decadência humana

"A Terra dos Filhos" (Veneta), do italiano Gipi, é daquelas obras que precisam existir. HQ poderosa, com traço realista, ela incomoda ao levar o leitor a universos tão distantes quanto possíveis.

Notas de um Leitor — edição 2

Nesta edição da coluna, Tiago Ferro fala sobre "O Pai da Menina Morta". Também escrevo sobre "O Laço", a nova HQ de Chester Brown, um comentário sobre o Prêmio Bravo! e uma vietnamita que revisitou seu passado uma obra impactante. Para fechar, as listas do blog.

Notas de um Leitor — edição 1

Na primeira edição deste novo formato, tem entrevista com Daniel Dago, tradutor que divulga lançamentos no Facebook. Também há comentários sobre duas obras que tratam de Kobane, HQs, uma coletânea de podcasts que viraram textos, uma lista à la Alta Fidelidade, entre outras coisas.

Uma crônica bissexta sobre alguns livros

Neste texto, escrevo sobre cinco livros: "O Vendido", "Nadando de Volta para Casa", "Múltipla Escolha", "Comer Animais" e a terceira parte de "O Árabe do Futuro".

A arte de John Coltrane ganha nova expressão: os quadrinhos

A HQ "Coltrane" (Veneta) não deixa dúvidas de que é uma obra reverente, sem medo do exagero e das parcialidades. O artista italiano Paolo Parisi, autor do roteiro e das ilustrações, não mostra nenhuma preocupação em não fazer outra coisa a não ser venerar John Coltrane. O título já escancara a devoção. A capa avança, … Continue lendo A arte de John Coltrane ganha nova expressão: os quadrinhos

Joe Sacco revê seu jornalismo em “Reportagens”

Sou fã de Joe Sacco. Desde sua estreia no Brasil, ainda na Conrad, com "Palestina - Uma Nação Ocupada", em 2000. Sua forma de fazer jornalismo, muito além de narrar um fato por meio de uma HQ, provoca um debate rico e atual. Sacco se insere na reportagem, é retratado pelo seu traço e faz … Continue lendo Joe Sacco revê seu jornalismo em “Reportagens”

“Ghetto Brother”: autor de HQ sobre o pacificador do South Bronx fala das gangues e de “The Get Down”

O South Bronx, na virada dos anos 60 e 70, era uma espécie de terra de ninguém. Formada por negros e latinos, basicamente, a região ao sudoeste de Nova York vivia sob violência e em um cenário de guerra. Terrenos abandonados e cheios de entulhos, carcaças de edifícios, incêndios, sujeira, miséria e preconceito dominavam a … Continue lendo “Ghetto Brother”: autor de HQ sobre o pacificador do South Bronx fala das gangues e de “The Get Down”