“Ninguém Precisa Acreditar em Mim”: a crônica de um fracasso de Juan Pablo Villalobos

Depois de escrever uma trilogia sobre o México, Juan Pablo Villalobos muda sua bússola e agora pensa numa forma de dar continuidade àquele mexicano desiludido, mas ainda tomado pela descrença no país. O resultado é "Ninguém Precisa Acreditar em Mim".

Anúncios

Notas de um Leitor — edição 8

Nesta retomada, a coluna traz comentários sobre livros que discutem a democracia, Daniel Clowes, Tchékhov e Melville. Tem links de leituras e a lista dos melhores livros de Amós Oz, escritor morto no fim de 2018 e que ganha uma homenagem aqui.

A Vegetariana esmiuça as decisões da mulher numa trama original e criativa

"A Vegetariana" (Todavia), de Han Kang, abre a literatura do país asiático na minha biblioteca com uma força rara, carregada de um frescor narrativo que não só faz bem a quem lê como instiga a curiosidade a respeito da escritora.

A crise das livrarias me levou a comprar “Oito do Sete”, livro premiado de Cristina Judar

Em "Oito do Sete", Cristina Judar desafia o leitor, que, se não tem uma obra convencional em suas mãos, encontra um livro que o faz caminhar por estar diante de um jogo narrativo muito bem estruturado e criativo. 

#HoradeClarice: uma entrevista para marcar o dia dedicado a Clarice Lispector

Neste 10 de dezembro, o IMS celebra o aniversário de nascimento da escritora, com a #HoradeClarice e o site dedicado ao projeto que visa divulgar a sua obra. Eu recupero a entrevista que fiz com Benjamin Moser, biógrafo da autora, publicada no jornal O Tempo, de Belo Horizonte.

A desilusão que restou no fim da leitura de Victor Heringer

Victor Heringer

Neste texto, escrevo como foi a experiência de ler Victor Heringer após passar por inúmeros elogios ao escritor, que morreu em março de 2018.

A Uruguaia entrega reflexão sobre a forma como conduzimos nossas vidas e expectativas

A história da "A Uruguaia" se passa em um dia, mas é recheada de memórias, para contar a saga de Lucas, um escritor argentino que já rompeu os 40 anos, vivencia uma crise no casamento e na carreira.

Contos de Mariana Enriquez tentam decifrar anos intoxicados que a Argentina viveu

"As Coisas que Perdemos no Fogo" poderia ser resumido, erroneamente, como uma coletânea de contos de terror ou suspense. Seria, também, uma definição preguiçosa. Pois o que a jornalista e escritora argentina Mariana Enriquez entrega é uma seleção de textos que carregam como pano de fundo a política, a ditadura militar que castigou seu país, afetos intransponíveis e solidão.

Notas de um Leitor — edição 7

Nana Queiroz

A coluna encerra sua trajetória com destaque para dois livros de não ficção: "Presos que Menstruam", de Nana Queiroz, e "A Arte do Descaso", de Cristina Tardáguila. Também tem comentários de obras de Dalton Trumbo, Sándor Márai e Timothy Snyder. O top 5 é de Ian McEwan.

Patricio Pron: “Os países não são feitos para nos satisfazer”

Patricio Pron

"O Espírito dos Meus Pais Continua a Subir na Chuva" é uma pequena joia que mostra como a literatura latino-americana contemporânea está atuante na busca de entender o passado ditatorial. Não são poucos os exemplos, e o argentino Patricio Pron se insere na lista com vigor. Ele conversou com o blog e falou sobre literatura, exílio e jornalismo.