Notas de Leitura – Um húngaro, um russo e um pitaco sobre o preço dos livros

"O Tradutor Cleptomaníaco" (Editora 34), de Dezsö Kosztolányi O complemento ao título do livro, que ganha uma reedição 20 anos depois, "outras histórias de Kornél Esti", indica que temos pela frente uma coleção de contos do personagem principal do escritor húngaro, uma espécie de alter ego. São 13 histórias em 130 páginas, textos curtos, sempre com Esti, … Continue lendo Notas de Leitura – Um húngaro, um russo e um pitaco sobre o preço dos livros

Anúncios

Sobre Péter Esterházy (1950-2016)

Do húngaro Péter Esterházy, morto recentemente, só li dois livros, dois títulos que me sempre me deixaram na fissura de ler mais do autor: "Uma Mulher" e "Os Verbos Auxiliares do Coração", ambos lançados pela Cosac Naify. Li os dois livros antes da abertura deste blog. Portanto, fui aos arquivos para recuperar um texto sobre um deles, apenas para … Continue lendo Sobre Péter Esterházy (1950-2016)

O que eu consegui escrever sobre “As Brasas”

Estou para escrever sobre "As Brasas" (Companhia das Letras) há mais de três meses, quando terminei a leitura do livro de Sándor Márai. Não consegui desde então compor um texto que traduzisse o impacto do livro, uma brutal investigação sobre vingança. Este foi o primeiro título que li do escritor húngaro, comprado naquelas promoções de … Continue lendo O que eu consegui escrever sobre “As Brasas”

Da biblioteca de casa: “Uma Mulher”

"Ela sabe de tudo e por isso me odeia. Trata-se de um sentimento que lhe propicia segurança. Ela me entende mal, pensa que faço o que faço por generosidade, e por isso me odeia. Mas não, eu sou mesmo louco por ela, quando fecho os olhos vejo apenas ela, quando abro os olhos, faço de … Continue lendo Da biblioteca de casa: “Uma Mulher”

Robert Capa: O homem que esteve perto demais

“Se suas fotos ainda não estão boas o suficiente, é porque você ainda não está perto o suficiente.” Robert Capa assim conduzia seu trabalho, assim definiu o trabalho do fotojornalista. O maior fotógrafo de guerra esteve muito perto de conflitos decisivos do século 20, como a 2ª Guerra Mundial e a Guerra Civil Espanhola. Ele … Continue lendo Robert Capa: O homem que esteve perto demais

Uma viagem de cheiros e memória

Gyula Krúdy é considerado o maior autor húngaro por nomes como Sándor Márai e Imre Kertész, este Prêmio Nobel de Literatura em 2002, mas sua obra é pouco conhecida no Brasil. Dono de imenso catálogo de romance, crônica, ensaio, teatro e conto, Krúdy só tem três opções em português: contos selecionados para as coletâneas "Contos … Continue lendo Uma viagem de cheiros e memória

O pai e a mãe, na visão de uma lésbica: as HQs de Alison Bechdel

Em "A Ausência que Seremos" (Companhia das Letras), o colombiano Héctor Abad reconta a história do pai, assassinado em praça pública, ao mesmo tempo em que revê sua relação com ele. Em tom semelhante, Paul Auster tenta entender como é ser filho e pai, em "A Invenção da Solidão" (Companhia das Letras). Philip Roth também … Continue lendo O pai e a mãe, na visão de uma lésbica: as HQs de Alison Bechdel

Um país parado no tempo

"O maior impedimento é a burocracia", interrompeu um dos engenheiros enquanto entrávamos no carro para almoçar na cidade, "a burocracia brasileira". Poderia ser um declaração dada por alguém que estivesse trabalhando em qualquer obra privada ou estatal hoje, mas não. O trecho é parte de "O Brasil em Movimento" (Benvirá), relato das viagens que John … Continue lendo Um país parado no tempo

O Brasil pelo estrangeiro

Emendo dois livros que de alguma forma se relacionam com o Brasil. Já terminei "O Brasil em Movimento", de John dos Passos. Agora, me envolvo com "O Vale do Fim do Mundo", de Sándor Lénárd. O primeiro é uma espécie de caderno de viagem, resultado de três passagens do escritor americano em meados do século … Continue lendo O Brasil pelo estrangeiro