3 autoras refletem sobre seus tempos

Vivian Gornick, Karina Sainz Borgo e Virginie Despentes usam de suas experiências para narrar memórias e ficção em que o papel da mulher é central nas discussões.

Leituras de 2 semanas de confinamento

Em tempos de quarentena, livros curtos ocupam o tempo de leitura.

Chabouté: a arte de contar histórias com o silêncio

Chabouté é o autor de "Solitário" e "Um Pedaço de Madeira e Aço", HQs que contam histórias com poucos ou nenhum diálogo e carregam sensibilidade a cada página.

“Uma Irmã” recria o amor de verão de adolescentes com sensibilidade

Bastien Vivès, autor de "Um Gosto de Cloro", recria as fábulas das histórias de férias, em que jovens saem da sua rotina e vivem algumas semanas em um universo paralelo, na delicada HQ "Uma Irmã".

Duas Vidas: HQ de Fabien Toulmé reflete sobre consequências das decisões de dois irmãos

Em "Duas Vidas", Fabien Toulmé conta a história de dois irmãos de temperamentos diferentes que se encontram em um momento importante da vida deles. Desse relato, surge uma reflexão sobre a vida e nossas decisões.

Notas de Leitura — a França de 68, a criação do FBI e o relato de Didion

No jogo rápido destas Notas, escrevo a respeito de "Um Ano Depois", as memórias da Paris/68, "Assassinos da Lua das Flores", uma investigação do jornalista David Grann, e "Blue Nights", o relançamento de Joan Didion no Brasil.

Não Era Você Que Eu Esperava: a síndrome de Down pelo olhar de um pai que tenta aceitar a filha

Em Não Era Você Que Eu Esperava, o autor francês Fabien Toulmé retrata como enfrentou a notícia de que sua filha era portadora de síndrome de Down.

Notas de um Leitor — edição 3

Na edição 3, tem entrevista como poeta Ricardo Aleixo, comentários sobre "Canção de Ninar", "O Roubo do Enem" e um livro-reportagem que investiga o excesso de altruísmo. No Alta Fidelidade, Tomás Eloy Martinéz. E Ana Paula Maia diz qual livro está lendo.

Uma crônica bissexta sobre alguns livros

Neste texto, escrevo sobre cinco livros: "O Vendido", "Nadando de Volta para Casa", "Múltipla Escolha", "Comer Animais" e a terceira parte de "O Árabe do Futuro".

Michel Houellebecq: um autor movido a niilismo e compaixão

O jornalista e escritor Paulo Sales analisa a obra de Michel Houellebecq: "O escritor francês parece destinado a descrever sem matizes a decadência do homem médio ocidental, dando forma a personagens homogêneos, muito semelhantes entre si".