Notas de Leitura 68

Estas Notas trazem rápidos comentários sobre "O Rei das Sombras", do espanhol Javier Cercas, "Assombrações", do italiano Domenico Starnone, e "Os Meninos de Nápoles", ficção de Roberto Saviano.

Paraíso Perdido: HQ revisita poema de Milton com lirismo sombrio

O artista espanhol Pablo Auladell reinventa o poema clássico de John Milton e transforma "Paraíso Perdido" em uma obra de arte.

Enfim, “O Impostor”

Li "O Impostor" (Biblioteca Azul) na virada de ano, mas até agora não tinha conseguido sentar e escrever sobre o livro do espanhol Javier Cercas. Provavelmente, sairá aqui um apanhado de ideias reunidas sem muito nexo. O livro é inclassificável. Mistura de romance, jornalismo, sociologia, psicologia, ensaio, história, "O Impostor" avança no que Cercas já … Continue lendo Enfim, “O Impostor”

Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 2

A seguir, a entrevista com a hispanista Suelu Reis Pinheiro, que falou sobre Cervantes para a reportagem publicada em 2005, no quarto centenário do lançamento de "Dom Quixote". Este é o segundo post do especial do escritor. A primeira parte tem  a reportagem principal e a terceira consta de um artigo de uma especialista em … Continue lendo Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 2

Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 3

Para fechar ao especial sobre os 400 anos da morte de Cervantes, publico artigo de Maria Augusta da Costa Vieira, professora de literatura espanhola da Universidade de São Paulo e autora de “O Dito Pelo Não Dito: Paradoxos de Dom Quixote” (ed. Edusp). O texto foi uma encomenda para "O Tempo", como parte da reportagem especial … Continue lendo Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 3

Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 1

Em 2005, escrevi uma reportagem para "O Tempo" sobre os 400 anos de "Dom Quixote". Aproveitava o lançamento de uma edição especial do livro pela Real Academia Espanhola. No pacote, havia, além do texto principal, uma entrevista com uma especialista em literatura espanhola e um artigo de uma estudiosa da obra de Miguel de Cervantes. Reproduzo … Continue lendo Cervantes e “Dom Quixote”: 400 anos de modernidade – Parte 1

Uma viagem pelas aldeias da Catalunha

Se você gosta de relatos de viagem, precisa conhecer a coleção da Tinta da China, editora portuguesa, com especial dedicação a esse gênero. São mais de 30 livros, de autores como Alberto Moravia, Agatha Christie, Saul Bellow, Peter Carey, Henry Miller, Werner Herzog e Alberto Manguel, entre outros. As edições são caprichadas, com capa dura, … Continue lendo Uma viagem pelas aldeias da Catalunha

A experiência de Unamuno

Há pouco mais de sete anos, tive contato pela primeira vez com a obra do espanhol Miguel Unamuno. Foi com o romance "Abel Sánchez" (Record). Na época, escrevi um texto para o antigo blog. Abaixo, alguns trechos. ***** Esse livro estava na cabeceira fazia mais de ano, do que me arrependo. A obra do escritor espanhol (1864-1936) … Continue lendo A experiência de Unamuno

Da biblioteca de casa: “A Vida É Sonho”

"Nasce a fera, e muito cedo a humana necessidade ensina-lhe a crueldade, monstro de seu labirinto: e eu, com melhor instinto tenho menos liberdade?" ("A Vida É Sonho", Calderón)

Altarriba mergulha no passado do pai em relato comovente

O romance gráfico "A Arte de Voar" (Veneta) termina do mesmo jeito que começa: a cena de um homem de 90 anos que sai do seu quarto de um hospital e caminha até a janela da sala. Para, sobe no parapeito e pula. A cena impactante é resultado de anos de depressão do pai de … Continue lendo Altarriba mergulha no passado do pai em relato comovente