Da biblioteca de casa: a veia aberta de Rodolfo Walsh

Em "Essa Mulher e Outros Contos", o autor argentino parte da realidade para fazer ficção, no caso, uma coleção de contos que por muitos é considerada um dos pontos altos da literatura argentina.

Sabato, em “A Resistência”: “Tenho uma esperança demencial”

Destaco alguns trechos do livro do escritor argentino, publicado quando ele tinha 89 anos.

Os livros que não terminei de ler

No post, comento sobre três obras que geraram expectativa, mas que cujas leituras foram interrompidas.

Leituras de 2 semanas de confinamento

Em tempos de quarentena, livros curtos ocupam o tempo de leitura.

Notas de Leitura 71

Nestas Notas, comento a respeito do segundo livro que li do argentino Pedro Mairal. Também escrevo sobre "Mars Club", de Rachel Kushner, e um conto do inglês Ian McEwan.

Da biblioteca de casa: um passeio à noite me leva de Manguel a Pirandello

Ao lembrar de um livro de Alberto Manguel, encontrei nas prateleiras duas obras do autor italiano.

Leila Guerriero prova que há vida no jornalismo em “Uma História Simples”

A jornalista argentina Leila Guerriero entrega em "Uma História Simples" uma história contada com pintadas de romance e apuração jornalística, técnicas que fazem desse relato um texto a ser lido. Ela retrata no livro o tradicional Festival Nacional de Malambo de Laborde e a saga de um dançarino.

Contos de Mariana Enriquez tentam decifrar anos intoxicados que a Argentina viveu

"As Coisas que Perdemos no Fogo" poderia ser resumido, erroneamente, como uma coletânea de contos de terror ou suspense. Seria, também, uma definição preguiçosa. Pois o que a jornalista e escritora argentina Mariana Enriquez entrega é uma seleção de textos que carregam como pano de fundo a política, a ditadura militar que castigou seu país, afetos intransponíveis e solidão.

Selva Almada: “Estou viva apenas porque tive mais sorte do que outras”

Selva Almada, autora de "Garotas Mortas", fala sobre o livro em que recupera a história de três meninas assassinadas na Argentina. "A violência de gênero atravessa geografias, classes sociais, níveis de educação."

Patricio Pron: “Os países não são feitos para nos satisfazer”

Patricio Pron

"O Espírito dos Meus Pais Continua a Subir na Chuva" é uma pequena joia que mostra como a literatura latino-americana contemporânea está atuante na busca de entender o passado ditatorial. Não são poucos os exemplos, e o argentino Patricio Pron se insere na lista com vigor. Ele conversou com o blog e falou sobre literatura, exílio e jornalismo.