As 8 melhores HQs lidas em 2018

Retomo a boa e velha mania de fazer listas de fim de ano com uma seleção das melhores HQs que li neste 2018.

Talvez tenha sido o ano em que mais li quadrinhos, com obras fortes e criativas. Ficção, jornalismo, história, os temas se dividiram e mostraram uma produção das mais interessantes.

Este é um pequeno retrato do mercado brasileiro. Algumas HQs já foram lidas, mas seus textos ainda não estão publicados — vou atualizar à medida em que forem saindo.

A lista não segue ordem de preferência. Algumas foram lançadas em 2018, outras não. Este é um recorte particular, do universo de leitura do blog.

  • A Terra dos Filhos, de Gipi. Um futuro pós-apocalíptico em que um pai tenta educar seus filhos. A decadência humana ganha traços quase que definitivos.
  • Angola Janga, de Marcelo D’Salete. O autor revisita o período colonial para contar a história dos escravos. Obra fundamental, assim como “Cumbe”.
  • Nada a Perder, de Jeff Lemire. Um dos grandes autores atuais conta a história de redenção em meio a redescobertas afetivas.
  • Desconstruindo Una, de Una. A autora revisita as violências que sofreu para traçar o mais forte manifesto feminino. Texto ainda não foi publicado.
  • Condado de Essex, de Jeff Lemire. Segunda obra do autor na lista, uma das grandes HQs dos últimos anos. É um painel que acompanha a história de um garoto no campo canadense enquanto vive sob cuidados de um tio. Texto ainda não foi publicado.
  • Black Hole, de Charles Burns. Uma alegoria da aids, esta HQ capta como a juventude na América profunda lida com diferenças e desejos. Isso antes de a doença galgar espaço. Texto ainda não foi publicado.
  • Maria Chorou aos Pés de Jesus, de Chester Brown. O autor de “Pagando por Sexo” desconstrói histórias da Bíblia e as reimagina sob um olhar muito particular. Imperdível.
  • Refugiados, de Kate Evans. A autora vai a Calais, na França, e relata como vivem os refugiados que chegam da Síria, principalmente. Desde já, uma obra-prima do jornalismo em quadrinhos. Texto ainda não foi publicado.

Merecem citação: Paciência (Daniel Clowes), A Vida É Boa Se Você Não Fraquejar (Seth), Fugir (Guy Delisle) e Sem Volta (Charles Burns) — essas três últimas HQs estão reunidas nestas Notas de Leitura.

2 comentários em “As 8 melhores HQs lidas em 2018

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s