Brasil, Ficção, Notas de leitura

Notas de leitura – 3 brasileiros

13653_gg“Restinga” (Companhia das Letras), de Miguel del Castillo
O subtítulo entrega a formatação do livro: Dez Contos e Uma Novela. Esses 11 blocos carregam a independência de personagens e tramas, mas os temas acabam por uni-los: família, deslocamento, maternidade, doenças. São as tragédias cotidianas que fazem com que “Restinga” ganhe uniformidade. A narrativa é madura – Castillo foi escolhido pela revista “Granta” como um dos 20 melhores jovens escritores brasileiros. “Violeta” é o conto que faz toda a diferença no conjunto. É a história de Miguel Angel, combatente uruguaio contra a ditadura, cuja família migra pela América Latina após seu sumiço. Continente tomado por generais e similares, que levam o conto a uma reflexão sobre o período das ditaduras. Seco, sem afeições a longas descrições e digressões, “Restinga” surge como um dos grandes livros do ano.

15059364“F.” (Rocco), de Antônio Xerxenesky
O ponto de partida é um tanto inusitado. Uma mulher é contratada para assassinar Orson Welles. Estamos em 1985, e o cineasta já foi se consagrou com seu “Cidadão Kane”. Ana, a matadora de aluguel, resolve então conhecer seu alvo. Vai a Paris para mergulhar nos filmes de Welles e tentar retirar das obras um perfil psicológico do diretor. Os anos 80 surgem por meio de referências pop, principalmente musicais. Mas a trama ultrapassa o crime quando Xerxernesky propõe entender o motivo pelo qual Ana, aos 25 anos, tornou-se uma matadora – e a resposta vai surgir no período da ditadura militar. Ao mesmo tempo, o autor leva ao leitor uma visão renovada sobre Welles e seus filmes. Criativo e muito bem conduzido, “F.” escapa da curva da mesmice literária para narrar uma história que parte do inusitado e chega ao drama comum.

11745805_1059115907461756_4634852559835557475_n“O Livro de Cada Um” (Manduruvá), de Leida Reis
Este é o quarto livro da escritora e jornalista, reunião de contos que têm um comum a própria literatura. Nos 13 textos, o personagem que vai solidificar as tramas é um livro. Cada conto tem seu título próprio – cujas escolhas blog não vai revelar para que não comprometer a surpresa da leitura. A boa sacada do livro é que os livros surgem naturalmente nas tramas e acabam por fazer entender o comportamento, as justificativas e ações dos protagonistas. Os títulos citados nos contos vão desde romances juvenis até poetas malditos, um arco que revela as influências e a formação da escritora.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s