Brasil, Ficção, Gastronomia, Inglaterra, Notas de leitura

Notas de leitura

3215674“Grogotó!” (Editora 34), de Evandro Affonso Ferreira
O blog já leu do autor “O Mendigo que Sabia de Cor os Adágios de Erasmo de Rotterdam” e “Minha Mãe se Matou sem Dizer Adeus” (ambos Record). Da trilogia do desespero, falta “Os Piores Dias da Minha Vida Foram Todos”. Antes do seu último romance, fui ao início, à sua segunda obra de ficção, lançada em 2000. “Grogotó!”, que o Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa) classifica como uma interjeição e o autor explica como sendo “Agora é tarde! Acabou-se!”, reúne 73 minicontos em que a experimentação de vocabulários e pontuação começa a delinear a obra de Evandro Affonso. Estamos diante de palavras como catrâmbias, tantofonia, enfrouxecido, de temas como sexo, traição, morte, rotina, experimentação que provoca e, em muitos casos, faz rir. O trabalho com a linguagem apenas começava, mas solidificou o caminho que iria levar aos romances.

c8de0fc2-1263-4fcf-b3d0-b080d8c79475“O Connaisseur Acidental” (Intrínseca), de Lawrence Osborne
Com o subtítulo “Uma viagem irreverente pelo mundo do vinho”, o livro é uma espécie de busca pela definição do gosto. O jornalista inglês quer entender o que faz um vinho ser bom ou não, por que as pessoas dizem “eu gosto deste”, de onde vêm os aromas e como as pessoas são capazes de identificar itens tão diversos como chocolate, cereja, terra, madeira e tipos diversos de amora. Ele viaja para a Europa, visita produtores na Itália e na França, mas dedica boa parte do livro a desvendar como a Califórnia desenvolveu um vinho que se tornou tão forte no mundo. Entre as suas descobertas, está a tecnologia, um empirismo que contrasta com a tradição europeia, como se planilhas estivessem substituindo o legado oral. Com uma ironia fina, ele consegue fazer perguntas sensíveis aos produtores e fazer com o que o leitor que não está familiarizado com esse universo entenda o que está sendo dito. É um livro sobre vinhos, mas poderia ser um sobre viagem.

Capa_ExisteeEstaAqui_1“Existe e Está Aqui e Então Acaba” (Dobra e e-galáxia, no digital), de Roberto Taddei)
É o primeiro volume da série Pequenos Exílios, coleção que reúnie autores para escrever relatos de viagens ficcionais. Neste, um professor de literatura, após um réveillon no Rio de Janeiro, viaja para uma cidade no interior de Pernambuco para visitar um amigo. Aproveita para dar um curso de literatura para professores da região enquanto pesquisa as origens da formação da cidade. No sertão, o professor, que ensina obras como “Odisseia” e “Divina Comédia”, deslocado, se vê longe dos confortos e diante de uma realidade desconhecida, impetuosa, quase descontrolada, mas que o mantém alerta para entender a importância daquela viagem. É o exílio que o faz mergulhar na diferença. O começo da série é bem promissor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s