Comentário, Estados Unidos, Poesia

“E quem sou eu contra tantos…?”

ArquivoExibirA boa notícia das novas traduções da obra de Sylvia Plath me fez buscar na estante seus diários, um catatau de mais de 800 páginas que reúne todas as anotações da escritora.

Lançado no Brasil em 2003, três anos depois da edição inglesa, “Os Diários de Sylvia Plath – 1950-1962” (Globo, fora de catálogo) é um mergulho profundo na alma da escritora. Por vezes tenro, por vezes dramático, seu texto exala sinceridade. E revela sem meios termos sua impotência: “E quem sou eu contra tantos…?” (mais trechos abaixo).

Sobre o relançamento das obras de Sylvia Plath, o primeiro a sair foi “A Redoma de Vidro” (Biblioteca Azul), seu único romance, já disponível. A editora vai lançar em 2015 “Poemas Completos”, este sim o grande fato, um livro infantil e uma coletânea de seus desenhos.

*****

“Tenho de viver a minha vida, ela é a única que terei. E você não pode considerar a própria vida com curiosidade objetiva o tempo todo…”

“Não entendo”, falei, “como as pessoas aguentam ficar velhas. Secam por dentro. Quando somos jovens, temos autoconfiança. Nem precisamos muito da religião”

“Você é um sonho; espero jamais encontrá-lo”

“Devo encerrar estas páginas, espero, num estado de espírito mais pacífico e otimista do que antes”

Sylvia_plath
A escritora Sylvia Plath
Anúncios

1 thought on ““E quem sou eu contra tantos…?””

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s