Cinema/Roteiro, Comentário, Dinamarca, Ficção, Obituário

Gabriel Axel (1918-2014) e sua festa de Babette

“Na maioria das vezes, os moradores de Berlevaag, no transcorrer de uma boa refeição, sentiam-se um pouco pesados. Nessa noite, não foi assim. Os convivas sentiam-se mais leves, e de espírito mais leve, quanto mais comiam e bebiam. Já não precisavam mais lembrar-se de sua promessa. Era, percebiam, quando o homem não só esquecia completamente, como também rejeitava firmemente toda ideia de alimento e bebida que ele comia e bebia no espírito certo.”

ANEDOTAS_DO_DESTINO_1292034826PO trecho acima é do conto “A Festa de Babette”, incluído em “Anedotas do Destino” (CosacNaify), de Karen Blixen (ou Isak Dinesen). Foi maravilhosamente levado ao cinema pelo dinamarquês Gabriel Axel, que morreu hoje, aos 95 anos.

A adaptação venceu o Oscar de melhor filme estrangeiro de 1988 e é, na opinião do blog, a melhor produção cinematográfica a retratar a gastronomia. O banquete servido por Babette é das coisas mais instigantes já filmadas.

A história começa na política para desembarcar na culinária. Em 1871, uma mulher desembarca num vilarejo dinamarquês vindo da França para fugir da repressão à Comuna de Paris. Ela se hospeda na casa de duas irmãs e fica a cuidar da casa. O local é comandado por um pastor de fervor religioso, rigoroso e que impõe muitas limitações.

Anos depois, Babette descobre que ganhou um bom dinheiro na loteria e pretende retribuir a acolhida do vilarejo. Pensa num banquete. Diferentemente do conto, o filme trata a reconstituir o passo a passo do banquete. Babette vai às compras e seleciona produtos, treina o pessoal para servir e prepara a refeição.

babette
Cena do banquete no filme “A Feste de Babette”

É um deleito para os olhos e o cérebro. O conto deixa essa parte subentendida. Mas Axel conseguiu filmar de um jeito deslumbrante, inclusive as reações dos comensais – que Blixen resumiu no trecho da abertura do post.

O DVD está disponível para a venda e sempre merece uma revisita. Quem quiser ler o conto, tem duas opções. Além de “Anedotas do Destino”, a Cosac separou “A Festa de Babette” da coletânea e o transformou em um livro de bolso e em e-book.

diretor-dinamarques-gabriel-axel-em-fotografia-tirada-em-2012-1392029873094_615x300
O diretor dinamarquês Gabriel Axel | Foto: EFE
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s