Brasil, Canadá, Estados Unidos, Ficção, HQ, Itália, Listas, Moçambique, Não ficção, Policial/Suspense, Uruguai

Uma lista um pouco diferente dos melhores do ano

Na onda de listas de fim de ano, o blog também fez a sua, mas um pouco diferente – só um pouco. Em vez de listar os melhores livros do ano, fiz uma seleção dos melhores livros e autores que li em 2013, sem me importar com sua data de lançamento ou publicação original.

A eles, sem ordem de preferência.

historias_paris_CAPA_alta“Histórias de Paris” (Biblioteca Azul), de Mario Benedetti
Reunião de quatro pequenos contos do uruguaio. Qualquer lançamento de Benedetti mereceria lugar entre os melhores, mas este vem mais doído. Os textos foram escritos durante seu exílio na capital francesa. Imperdível

exibe_thumbJames Ellroy
Foi o escritor que dominou minhas leituras no primeiro semestre. Foram seis livros em sequência: a trilogia do detetive Lloyd Hopkins, “Jazz Branco”, “Dália Negra” e a segunda parte da trilogia sobre a história dos Estados Unidos, “6 Mil em Espécie” (todos Record). O jeito seco, quase bruto da prosa de Ellroy faz com que o leitor se sinta no meio da ação. É, talvez, o melhor escritor de policiais na opinião do blog

O-Mendigo-Que-Sabia-de-Cor-Os-Adagios-de-Erasmo-de-Rotterdam_2012-07-03_10-17-04_1“O Mendigo que Sabia de Cor os Adágios de Erasmo de Rotterdam” (Record), de Evandro Affonso Ferreira Vencedor do Jabuti de ficção, a prosa do brasileiro é ousada. Leia sobre o livro neste post

ArquivoExibir“Afirma Pereira” (CosacNaify), de Antonio Tabucchi
O melhor do escritor italiano. Escrevi sobre o livro neste post

13117_gg

“A Prisão da Fé” (Companhia das Letras), de Lawrence Wright
Ele já havia feito o livro definitivo sobre os ataques de 11/9, “O Vulto das Torres” (Companhia das Letras). O jornalista americano, neste livro, investiga a cientologia. Uma reportagem de fôlego, bem apurada, bem escrita sobre uma tema polêmico. Nada escapa do olhar do autor

“Divórcio” (Alfaguara), de Ricardo Lísias
Ficção e realidade se misturam de forma a criar uma prosa única. O brasileiro amadurece seu trabalho e cria seu melhor livro até agora. O blog entrevistou o autor – neste post

terra-sonambula_rep_300“Terra Sonâmbula” (Companhia das Letras), de Mia Couto
Foi o primeiro livro que li do escritor moçambicano. O romance é arrebatador, um mistura de prosa poética com realismo mágico

CronicasDeJerusalemGuy Delisle
Foram três HQs no ano – “Crônicas de Jerusalém”, “Shenzhen – Uma Viagem à China” e “Pyongyang – Uma Viagem à Coreia do Norte” (todos Zarabatana). O artista canadense relata o cotidiano dos locais onde morou. Uma crônica primorosa de lugares onde a liberdade é artigo raro

Anúncios

2 thoughts on “Uma lista um pouco diferente dos melhores do ano”

  1. O primeiro conto de Histórias de Paris já vale o livro. Estava lendo no trem e de repente me vi com os olhos cheios de água ao terminar. Os outros também são bons. Comprei também A borra do café, que devo começar a ler hoje. E lá em Barcelona achei uma antologia poética de Benedetti, que já comecei a folhear meio aleatoriamente. É um escritor especial demais.

    Curtir

    1. O primeiro conto é o melhor mesmo. O livro foi lançado meio às escondidas, uma pena. Li A borra de café já faz algum tempo, uma edição antiga da Record, com uma capa que lembra aqueles romances açucarados. É bom também.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s